A VOZ DO RÁDIO QUE SE TORNOU A NAMORADINHA DO BRASIL – AGORA EM DOCUMENTÁRIO

ROSINA PAGÃ: A HISTÓRIA DE UMA CANTORA DE RÁDIO

ROSINA PAGÃ: A HISTÓRIA DE UMA CANTORA DE RÁDIO

O filme documental “Rosina Pagã – A História de Uma Cantora de Rádio” (Pagan – the history of a Radio Singer – titulo em inglês) trará a história de uma das grandes intérpretes da música brasileira. Uma cantora do Rádio, atriz do cinema nacional e notoriedade internacional: Rosina Pagã! Afastada do cenário artístico desde a década de 60. Um documentário inédito dirigido por Dimas de Oliveira Junior, mostrando a vida e carreira daquela que foi a primeira “Namoradinha do Brasil”. Filme documental com os depoimentos de: Zuza Homem de Mello, Valdir Comegno, Romeu Maccione. 

ENTREVISTA: DE ATOR PARA DIRETOR 

Evan Aires – Dimas de Oliveira, você é um grande pesquisador cultural e sempre traz fatos históricos a serem lembrados e registrados na arte. Quando que surgiu a ideia de um documentário sobre Rosina Pagã? 

Dimas de Oliveira – Sempre tive uma identificação muito grande com biografias, e como trabalho com audiovisual se torna mais fácil. No caso da Rosina Pagã eu tenho uma grande admiração por essa cantora, que tem vasta importância na história oficial da música brasileira. Rosina Pagã, foi a “Primeira Namoradinha do Brasil” (título que viria a ser nos anos 70 da atriz Regina Duarte), para a história da televisão brasileira. Em 1939 causou! na primeira experiência de tv no Brasil, foi a Rosina e sua irmã Elvira, que inauguraram essa nova experiência. Rosinha cantou para os pracinhas na II Guerra Mundial, fez carreira no México como atriz. Participou de 3 clássicos do cinema nacional: Alô, Alô Carnaval; Aves sem Ninho e Caminhos do Céu, além de emprestar a voz em dublagens de desenhos de Walt Disney . Isso sem falar de sua notável atuação na dupla Irmãs Pagã e sua carreira solo de cantora. Aí me pergunto: como é que uma artista brasileira pode ser apagada da memória? Precisamos salvar, resgatar e preservar o talento. 

Evan Aires – Para um filme de época como “Rosina Pagã – A História de Uma Cantora de Rádio”, tem que ocorrer uma mobilização e um trabalho especial com: figurinos, locações, cenários e até mesmo a escolha do elenco. Como foram realizadas as etapas e os bastidores na pré-produção?

Dimas de Oliveira – O cuidado para a realização de um filme documental é muito grande! Você tem que ter 100% de acertos! Não tem o direito de errar, pois é um trabalho informativo, jornalístico e de apresentação de fatos que não podem ter distorções. Existiu uma pesquisa muito grande para a realização do filme, desde o conteúdo histórico a ser apresentado. Por exemplo, você tem que revirar todos os arquivos possíveis para checar fatos publicados pela imprensa, e além disso conseguir reunir depoimentos vinculados com os dados. Composição de peças, com um quebra-cabeças, afinal tratamos de assuntos que aconteceram há anos. Eu tive muita sorte em poder contar com os historiadores como: Valdir Comegno, Romeu Maccione e Zuza Homem de Mello. Todos gravaram falas para o filme que contém todo o alicerce que precisávamos.

Também contei com a ajuda inestimável do amigo pesquisador, autor e historiador, Thiago de Menezes que localizou o endereço de Rosina Pagã nos Estados Unidos, esse foi o ponta pé inicial, daí fomos a luta. Com relação a elenco para cenas de simulação, aí a história é bem mais difícil, pois além de termos que encontrar bons atores, é imprescindível a semelhança física com as personagens, para isso não existe teste e sim o “feeling” em olhar para o profissional e dizer: É você! Assim foi com a atriz Marius a Bregoli (que interpreta Rosina Pagã nas cenas de simulação), e com os atores Alexandre Quintas (Lamartine Babo), Lucas Gil (Raul Roulien) e Aléxia Annes (Elvira Pagã), que interpretaram os personagens que requeriam a maior identidade e tipo físico. O demais detalhes ficam em torno de muitos ensaios, muitaleituras e colocar o elenco naquele período da história, é muito difícil, mas dá um imenso prazer em recriar tudo.

Evan Aires – Neste filme e, já adianto aos leitores, que nós vamos ser transportados para a década de de 30 no auge das marchas de carnaval – Gostaria de saber como é lidar com um momento tão marcante e poético?

Dimas de Oliveira Os espectadores terão muitas surpresas com os fatos apresentados no filme documental ROSINA PAGÃ, com relação ao conteúdo da história do rádio brasileiro, do cinema nacional e, particularmente sobre a vida artística e pessoal dessa lenda viva que é a Rosina Pagã. Além disso, poderão se deliciar com músicas que fizeram parte do carnaval brasileiro nas décadas de 30 e 40. E, vão dar um mergulho no passado alegre do povo brasileiro. Mas prefiro deixar na expectativa e o convite para todos assistirem ao filme.

Evan Aires – Acompanhei que para o roteiro do documentário ganhar vida, foi realizada uma longa entrevista com a biografada, a Rosina Pagã, que atualmente mora nos Estados Unidos. Como foi ouvir e compartilhar o momento de apuração real de vida?

Dimas de Oliveira – Foi uma emoção muito grande realizar essa conversa no formato de entrevista com Rosina Pagã, que atualmente está com 94 anos e saber que ela recebe cuidados de muitos amigos, principalmente da Silvana Licciardi, sua guardadora, que tem um amor muito grande pela nossa Rosina. Nem todos os artistas brasileiros conseguem chegar a uma idade tão avançada, cercados de tanto carinho e sem preocupações financeiras. Rosina está bem, dentro das limitações da idade. A entrevista foi realizada na residência dela em Los Angeles, e eu estava por Skype, mas mesmo assim foi uma emoção! É nestas horas que eu agradeço a tecnologia atual que permitiu isso acontecer. Sem poder esquecer dos profissionais envolvidos nessa trabalho.

Evan Aires – Em 2013, foi um ano cheio de projetos e muitos já estão aprovados e prontos para praticá-los. Adiante para a nossa coluna quais serão os próximos trabalhos?

Dimas de Oliveira –  2014 chegou com força total, e com muito trabalho. 2013 foi um ano de “plantar”, e agora vamos para a colheita, procurando diversificar, criar e ousar. Alguns projetos interessantes estão se firmando como o longa-metragem NOVA ERA CORINTHIANS, um filme de ficção científica que vou dirigir no segundo semestre com realização da Lumix Films e distribuição da Europa Filmes. A série VIDA FÁCIL, do roteirista Wagner Sampaio e produção da Batom Produções, que vem sido gravada e estreia em breve, o lançamento do filme documental da ND Produções Artísticas: “ALMEIDA JUNIOR, o Menino de Itu” e claro, sem esquecer jamais do resgate dos grandes ídolos do Brasil….Aguardem que estou em fase de preparação de um filme documental sobre o resgate da memória de uma cantora carioca da década de 30, que com certeza vai revolucionar a história da MPB. Que venha 2014 com força total e muita energia artística.

MAIS SOBRE O DIRETOR 

DIMA DE OLIVEIRA JUNIOR - Agora em 2014 estreia o filme documental "ROSINA PAGÃ, A HISTÓRIA DE UMA CANTORA DO RÁDIO", com imagens gravadas no Brasil e EUA.  Além de todo esse trabalho também dedica-se aos cursos de cinema que ministra na Casa Guilherme de Almeida, pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo e em diversas cidades do Brasil. Recebeu o Prêmio Mauá de Excelência em Cinema Documental, além da Medalha de Mérito Cívico de Desempenho em Artes Cinematográficas. Recebeu também o título de Comendador da Ordem do Mérito Cívico e Cultural

DIMAS DE OLIVEIRA JUNIOR – Agora em 2014 estreia o filme documental “ROSINA PAGÃ, A HISTÓRIA DE UMA CANTORA DO RÁDIO”, com imagens gravadas no Brasil e EUA. Além de todo esse trabalho também dedica-se aos cursos de cinema que ministra na Casa Guilherme de Almeida, pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo e em diversas cidades do Brasil. Recebeu o Prêmio Mauá de Excelência em Cinema Documental, além da Medalha de Mérito Cívico de Desempenho em Artes Cinematográficas. Recebeu também o título de Comendador da Ordem do Mérito Cívico e Cultural

DIMAS DE OLIVEIRA JUNIOR – dirige Cinema,TV e Documentários. É jornalista e exerceu funções em 32 filmes realizados para a Rede STV – SESC SENAC de Televisão. Dirigiu o curta-metragem “Desatino” (baseado na história real do jornalista Moacyr de Toledo Piza e da cortesã Nenê Romano), realizado em 2007. Assinou o longa-metragem “Os Últimos Compassos de Dircinha Batista”, lançado em 2012. Em longas, recentemente, realizou : “Histórias de Vidas na Montanha Magnífica” (sobre a cidade de Campos do Jordão), “Histórias de Vidas em Ubatuba”, “Cidade da Cura” (sobre a Tuberculose), “Do Inferno ao Paraíso” ( A história da maior rebelião de presos do mundo, ocorrida no Presídio da Ilha Anchieta(SP),em 1952 ), “Celly&Tony Campello,os brotos legais” e, em fase de finalização para 2014 :”Almeida Junior, o menino de Itu”, “Princesas do Brasil! Era uma vez…” Também é diretor da série VIDA FÁCIL com estreia em 2014. 

AVANT-PREMIÈRE DO DOCUMENTÁRIO ROSINA PAGÃ

ANOTE: Segunda-feira, 20 de Janeiro de 2014 as 19h00, no MIS – Museu da Imagem e de SOM na Avenida Europa, 158 – Pinheiros – São Paulo – Entrada Franca

evan02

ROSINA PAGÃ: A HISTÓRIA DE UMA CANTORA DE RÁDIO, com Alexia Annes, Mariusa Bregoli, Lucas Gil, Matheus Prestes, Ignez Polidoro e grande elenco

ROSINA PAGÃ: A HISTÓRIA DE UMA CANTORA DE RÁDIO, com Alexia Annes, Mariusa Bregoli, Lucas Gil, Matheus Prestes, Ignez Polidoro e grande elenco

 

 

 

 

 

 

 

A história de Rosina Pagã (Rosina Cozzolino) começou ainda na infância com sua Elvira Pagã (Elvira Cozzolino – Itararé, SP – 06/09/1920 – Rio de Janeiro, RJ – 08/05/2003)

"Ser artista é muito bom, mas para ser um artista consumado você tem que ser um grande ser humano, senão não adianta nada, é um grande vazio, enorme!" – Rosina Pagã

“Ser artista é muito bom, mas para ser um artista consumado você tem que ser um grande ser humano, senão não adianta nada, é um grande vazio, enorme!” – Rosina Pagã

As irmãs Cozzolino ainda na infância foram com a família para o Rio de Janeiro, onde organizavam e participavam de muitas festas e, por intermédio de integrantes do Bando da Lua, onde tiveram contato alguns artistas da época. A estreia das irmãs aconteceu em 1935, apresentaram-se com os Anjos do Inferno na inauguração do Cine Ipanema, ocasião em que foram apresentadas como as Irmãs Pagãs.

Daí por diante começaram na Rádio Mayrink Veiga apresentada pelo radialista César Ladeira, fazendo grande sucesso na década de 1930, gravando musicas e marchas de grandes compositores da época como: “O carnaval é rei”, “Não beba tanto assim”, “Que será, será”, “Se você me deixar”, “Oba oba”, “Tristeza” , “O samba acabou”, “Eu não te dou a chupeta”, “Nobreza”,  “Água mole em pedra dura” entre outras. Participaram de filmes como: “Alô, alô, carnaval”, de Wallace Downey, João de Barro e Alberto Ribeiro, “Cidade mulher”, de Humberto Porto, onde apresentaram a música título (de Noel Rosa), cantando com Orlando Silva. A dupla chegou ao fim, com o casamento de Elvira, Rosina seguiu carreira solo, participou ainda de vários filmes como atriz e também chegou a dubla um desenho, o clássico “A Dama e o Vagabundo” de Walt Disney, onde dublou a personagem principal, Lady (a Dama do título) em 1955. Em 1946 seguiu turnê em Cuba, EUA e México, cidade onde se casou e passou a residir. Elvira Pagã seguiu carreira como estrela do teatro de revista.

Alcançou grande notoriedade, sobretudo por sua atuação como vedete, sendo considerada uma das mais belas mulheres de sua época – os anos 40, 50 e até começo dos 60. Hoje Rosina mora nos Estados Unidos, com 92 anos de idade (em 2013).

 

Evan Aires – ator pelo Incenna – Escola de Teatro e Televisão. Com carreira em artes, cinema e espetáculos. É sócio-diretor da empresa Entusiasmo Entretenimento, que pode ser visitada no site www.entusiasmoentretenimento.com.br

 Para acompanhar as matérias de Evan Aires, clique em Arte e essência na comunicação

POR DENTRO DA MÍDIA, ARTE E ESSÊNCIA NA COMUNICAÇÃO, O ATOR EM CENA. Com EVAN AIRES é um espaço para você acompanhar uma vez todos os sentidos da vida com arte. Que passa pelas ruas, casas teatrais e espaços culturais. São registros do ator Evan Aires, sempre em cena

POR DENTRO DA MÍDIA, ARTE E ESSÊNCIA NA COMUNICAÇÃO, O ATOR EM CENA. Com EVAN AIRES é um espaço para você acompanhar uma vez todos os sentidos da vida com arte.
Que passa pelas ruas, casas teatrais e espaços culturais. São registros do ator Evan Aires, sempre em cena