O DIÁRIO DE QUEM MORA EM GRANDES CIDADES. CALOR E O DESPERDÍCIO NÃO MUDAM

Com o calor excessivo, o consumo de água aumenta, e como não tem chovido, dia a dia só tem baixado o nível do principal reservatório de abastecimento da cidade, o Sistema Cantareira, que atende a cerca de 10 milhões de pessoas, na Grande São Paulo.

Segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), o nível neste domingo estava em 21,7% do total da capacidade.

 Dá para economizar água?

As respostas são para todos e em todas as cidades, porque passa por comportamento e pela vida em grandes centros urbanos. A água destinada à população das cidades chega a ter 40% de desperdício. Economizar água é uma responsabilidade compartilhada por todos, em qualquer época do ano, com ou sem dificuldades no uso da água.

Os recados são os mesmos a cada ano, mas a conscientização precisa ser mantida:

  • Evitar tomar banhos prolongados.

  • As pias não devem ficar abertas enquanto se escova os dentes ou faz a barba. Também é importante observar todas as torneiras da casa, prevenindo e consertando goteiras e vazamentos. Uma goteira pode desperdiçar até 46 litros de água por dia. E, se a água estiver fluindo em forma de filete, perde-se de 180 a 720 litros diários.

  • VARRER” O CHÃO (fonte: Ministério do Meio Ambiente)

    Outras dicas incluem reutilizar a água da máquina de lavar para limpar calçadas ou o quintal, evitando a prática de “varrer” o chão com água potável, não deixar torneiras abertas enquanto ensaboa as mãos ou as louças, assim como preferir lavar o carro usando baldes de água e panos em vez da mangueira. Quando a água está correndo normalmente pela torneira, chegam a ser desperdiçados até 12 mil litros por dia. Se estiver fluindo em forma de jato, pode chegar a 45 mil litros diários.

    NO TRABALHO

  • Não é só em casa que dá para economizar água. No trabalho também é possível adotar medidas de contenção. Uma recomendação simples é colocar adesivos com mensagens educativas, lembrando a todos da necessidade do bom uso da água, principalmente nos banheiros. 

    A substituição das torneiras e as caixas de descarga por outras mais econômicas também ajuda, além da utilização de dispositivos que podem resultar numa redução de vazão de até 12 litros por minuto por peça sanitária (torneiras, chuveiros, etc.). A reutilização da chuva pode ser feita por meio de um sistema de reaproveitamento. Essa água não potável pode ser usada nas instalações sanitárias, lavagens de garagens e automóveis e para irrigação de jardins. 

    Observar as contas de água do edifício também pode ajudar a indicar aumentos de consumo incomuns que podem representar vazamentos ou desperdício de água pelos usuários. Por isso, é preciso ficar atento a esse tipo de problema para solicitar o imediato conserto de torneiras, bebedouros e descargas vazando no local de trabalho.

  • COMPORTAMENTO NAS GRANDES CIDADES – GALERIA DE FOTOS TEM REGISTROS DOMÉSTICOS E ESTRUTURAIS

  • img_59222_0 088ea65f9855c95a87847172920833ed_S 847364f6c77d5b51e33432879b68b0ba 213_3013-eurep-zo-agua images (6) agua_1 represa-em-vinhedo-600x400 31jan2014-solo-seco-e-rachado-e-visto-da-represa-jaguari-que-integra-o-sistema-da-cantareira-principal-provedor-de-agua-de-sao-paulo-nesta-sexta-feira-31-1391206750602_956x500-600x400