PARECE CONTRADITÓRIO, MAS É VERDADE. VIDA DE PROFESSOR

professor

A concorrência, o individualismo, a discriminação, a violência emocional e o materialismo são promovidos na escola.

Parece contraditório, mas é verdade. Para um professor tradicional é muito mais fácil fazer o que ele já faz há muitos anos, mesmo que isso não seja prazeroso.

De 7 milhões de inscritos no ENEM, 228 mil terão vaga para estudar, isso é controle social, isso é formação de castas, isso é elitização. O nosso sistema educacional prussiano é um fracasso. Taylor, Ford, Rockfeller pensaram e patrocinaram a educação para manter o filho do trabalhador dentro de um sistema onde mais tarde eles reproduziriam a serviencia dos seus pais.

Ao Sistema e ao Estado nunca o indivíduo será importante. Por isso toda a educação que busque desfazer essas amarras será proibida, massacrada. É necessário gerar pessoas obedientes, que peguem o trem ou os ônibus lotados pela manhã, vão ao trabalho, voltem e ao final, caso queiram protestar ou desobedecer, haverá uma polícia ou mesmo o forças mais fortemente armadas para manter “a paz”.

Exames padronizados, notas mínimas, matérias obrigatórias, currículo fora da realidade dos alunos, pressão sobre professores, sobre alunos, premiação aos “melhores”, castigos, cópias, horário regulado por uma sirene desumanizada, verticalização, ordens, cantar o hino, uniforme, tudo isso vindo desde o século XIX ainda permanece (para orgulho de muitos) dentro da escola do século XXI. É o nosso fracasso. Escola é um mapa a ser seguido. Educação é um território onde o aprendizado realmente acontece.

O centro da educação é a criança, não somos ou devemos ser “passadores” de conteúdos. É hora de mudar, as crianças nascem curiosas, isso é humano, porém a escola tradicional mata a curiosidade. Dificilmente uma criança de 12 anos pega num livro. “Podemos viver sem operar logarítimos, mas não podemos viver sem aprender a lidar com pessoas.” Política nunca se ensinou na escola.

Aos 5 anos de idade qualquer criança é genial, porém aos vinte anos apenas 10 % mantém o ritmo. ” Todos os grandes homens e mulheres da história humana foram sonhadores “. Brincar é saudável, produtivo, educativo. Estudar não é consumir, é criar e recriar. O ” Estudar para passar ” não faz a educação ser vencedora , isso é a escola tradicional, isso faz com que a curiosidade seja assassinada.

O currículo mata a criatividade. Tente utilizar a curiosidade para motivar a compreensão, se uma criança vê um vulcão em erupção ela fatalmente tentará explicar o fenômeno, e é aí que o professor entra na vida dela. O currículo gera robôs, eles repetem, repetem, repetem, estressam e não vivem intelectualmente, não vivem plenitude intelectual. O professor não é o protagonista do caminho. O protagonista é a criança. Não podemos partir do pressuposto de que a criança é uma caixa vazia onde colocamos vários softwares de conhecimento para que ela seja uma cidadã plena. Cada criança vem de um lar diferente, experiências culturais e sociais diferentes, alimentação boa ou ruim. Cada um tem sem tempo de compreensão e aprendizado. ” Nos falta capacidade de amar “. Em 1913 estudos criaram uma ciência capaz de operar através do medo. O modelo condutivista é utilizado na escola ” moderna “, nas publicidades e na propaganda política moderna, no treinamento militar e nas torturas. As massas são manipuladas através do medo. Existe hoje no mundo o medo da mudança, o medo do progresso, medo do amor, medo de você mesmo, medo de ter medo. Vivemos uma sociedade que se autoengana, trabalhando no quê não gosta para ter dinheiro. Somos escravos de nós mesmos.

O ser humano é um todo, requer uma educação holística. O teste de conhecimento é linear, não observa as outra variáveis dessa necessária observação. O aluno pode ser péssimo em química e maravilhoso em música. Então, o que faz esse aluno ser melhor ou pior do que outro? “ As artes ” A arte é a forma de expressar a criatividade e personalidade de uma criança. A arte é um direito da criança. Sem ela não há uma formação integral (“… a educação sem liberdade dá como resultado uma vida que não pode ser vivida plenamente.”A.N.Neill). “ O isolamento ” É preciso derrubar todos os muros de todas as escolas. Se quisermos mudar o país essa mudança básica deverá ocorrer o mais breve possível. Não é possível prosseguir na lógica do medo, do isolamento, do individualismo. As famílias, a comunidade, todos precisam pertencer e cuidar da escola, não apenas a polícia.

Costuma-se confundir disciplina. Existe uma disciplina ditatorial, uma disciplina funcional, e uma autodisciplina. Na escola, como no exército se cobra a primeira, sentados todos enfileirados, não falando, não fazendo o que o ” General ” não quer. Dia desses saí com um grupo de alunos para visitar um quartel, parei sobre uma bússola próxima à praia da instalação militar e em 2 minutos o soldado veio me pedir para não utilizar aquele material didático que estava logo ali por questões de ” segurança “. As outras duas disciplinas são abominadas por esses organismos repressores. Principalmente a funcional, onde o colegiado decide o quê vem a ser melhor para o todo. A autodisciplina torna-se impossível de ser aprendida nessas condições. Um jovem não pode decidir na sua vida adulta se nós sempre decidimos por ele em sua infância e adolescência. O que ler, o que vestir, uniforme, onde ir… Organização funcional é o que deve haver nas escolas, não organização de poder.

Estamos dando importância ao que os jovens dizem? “ Gostar de gente ” Não adiantará investir milhões em educação se não investirmos em humanização, se não invertermos a lógica da escola prussiana de apenas formar repetidores que não são protagonistas de suas vidas. Muitos professores mesmo são vítimas desse Sistema, não trabalham porque gostam, mas sim para receber o seu suado dinheiro no fim do mês. É um ciclo vicioso que atrapalha quem realmente entende o sentido da profissão. É preciso gostar de gente, de se relacionar com gente. Como pode um docente tratar bem um aluno se o Estado o trata como um número? A decência profissional tem que ser recuperada pelo próprio professor, este que hoje é “premiado” com bônus por “metas”, castigado porque não lançou “nota”, ou não foi ao gabinete bajular o diretor.

Assim como os alunos os professores deveriam estar em liberdade, livres da burocracia. A tarefa da educação é muito complexa, não podemos fazer nada sozinhos e o melhor modelo de escola é onda há amor e respeito. Uma escola desvinculada da família tende ao fracasso. Isso porque a família é o princípio de tudo. Muitos pais pensam que criar os filhos é uma atividade profissional, os que tem condições pagam babás, os outros transferem par a escola ou creche. Mas ainda existem aqueles que não tem efetivamente família, e aí, como proceder? As crianças são o reflexo da sociedade. Se bem cuidados darão bons resultados e essa é a tarefa de todos nós.

Se queremos uma sociedade diferente temos que dar amor aos nossos filhos.

cleber