O NOVO MAPA DE FRONTEIRA E O QUE AFETA O MEIO AMBIENTE ?

Depois de 135 anos, a Guerra do Pacífico vai acabar. Nesta semana, o tribunal das Nações Unidas divulga a nova fronteira entre o Chile e o Peru.

O Chile lamentou a perda dos direitos econômicos de uma área de entre 20.000 e 22.000 km2, afirmou nesta segunda o presidente chileno, Sebastián Piñera. "Embora nesta zona o Chile mantenha todas as suas liberdades de navegação marítima e de navegação aérea, sem dúvida essa cessão representa uma perda lamentável para o nosso país", indicou Piñera, em uma mensagem do Palácio de La Moneda. "Essa decisão da Corte significa que o Chile deve ceder direitos econômicos em uma zona de aproximadamente 20.000 a 22.00 km2 a oeste da milha 80", acrescentou o mandatário.

O Chile lamentou a perda dos direitos econômicos de uma área de entre 20.000 e 22.000 km2, afirmou nesta segunda o presidente chileno, Sebastián Piñera. “Embora nesta zona o Chile mantenha todas as suas liberdades de navegação marítima e de navegação aérea, sem dúvida essa cessão representa uma perda lamentável para o nosso país”, indicou Piñera, em uma mensagem do Palácio de La Moneda.
“Essa decisão da Corte significa que o Chile deve ceder direitos econômicos em uma zona de aproximadamente 20.000 a 22.00 km2 a oeste da milha 80”, acrescentou o mandatário.

O redesenho desse pedaço do mapa da América do Sul é o tema político mais relevante das últimas décadas. O relatório da decisão da Corte Internacional de Justiça, baseada em Haia não estabeleceu, no entanto, as coordenadas precisas da nova fronteira, o que era reivindicado por Chile e Peru. Segundo o tribunal, os dois países podem determinar o limite sozinhos. Autoridades chilenas e peruanas deram a entender nos últimos dias que acatariam a decisão.

A decisão do tribunal deve encerrar uma disputa que tem origem há mais de cem anos. No século 19, durante a Guerra do Pacífico, o Peru perdeu 25% do seu território para o Chile, e a Bolívia, a sua entrada para o mar – que reivindica de volta até hoje. Em abril de 2013, o presidente boliviano, Evo Morales, apresentou sua própria queixa no tribunal de Haia. O processo está em andamento.

 

MAPA DE CONTEÚDO DE SUSTENTABILIDADE – fonte: cij.org

Apesar de a atual fronteira ter sido modificada pela decisão do tribunal, ela não deve afetar os pescadores do Chile, sobretudo os pequenos, que têm raio de atuação de no máximo 40 milhas.

A decisão favorece muito mais o Peru. Já no Chile muitos analistas internacionais e do setor pesqueiro do país – todos afirmaram que não será afetado a atividade, já que a pesca de anchova seria realizada nas primeiras 12 milhas (cerca de 20 km) a partir da costa.

Ainda assim, a Confederação De Pescadores do Chile lamentou que o país tenha perdido “um terço de seu mar”, por onde passava uma importante rota de recursos pesqueiros.

Lembrando que: a população real de peixes em águas chilenas está tão baixa que os navios não atingem suas cotas desde 2007. Em 2010, o limite de cavala era de 1,3 milhões de toneladas; as redes pegaram menos de 465 mil. Lota Protein tem 1,4% da cota de cavala. A empresa não pescou o suficiente em 2011 para atingir estes níveis. 

600x380xChile-600x380.jpg.pagespeed.ic._PP4W2Zf06