AUDÁLIO DANTAS E A SUA DESCOBERTA: CAROLINA MARIA DE JESUS

UMA HISTÓRIA – Estas duas fotos ( ver abaixo) que estão na matéria que a revista E, do Sesc, publica sobre a trajetória de Carolina Maria de Jesus depois do sucesso de seu livro “Quarto de Despejo”.

Na primeira, feita por mim, ela aparece com o Tietê e a favela do Canindé ao fundo; na segunda, autografa para mim, à porta de seu barraco, o primeiro exemplar do livro que seria traduzido para mais de 13 idiomas.

1781863_360769977440275_2113090845901418764_n

10959791_360770170773589_2726616746505865674_n

QUEM É  Carolina Maria de Jesus?

Em 1958, o repórter Audálio Dantas estava na favela do Canindé, em São Paulo, preparando uma reportagem sobre um parque infantil para o extinto jornal Folha da Noite, quando se deparou com uma mulher negra de 43 anos que gritava: “Onde já se viu uma coisa dessas, uns homens grandes tomando brinquedo de criança! Deixe estar que eu vou botar vocês todos no meu livro!”  Curioso, como todo bom jornalista, Audálio foi atrás dela e descobriu uma escritora: Carolina Maria de Jesus, que ficaria conhecida mundialmente por Quarto de Despejoum clássico de nossa literatura, traduzido em 13 idiomas. (texto da revista Carta Capital).

Para ler a reportagem completa revista E, do Sesc , clique no link

http://www.sescsp.org.br/online/artigo/s/djU#/tagcloud=lista

unnamed1-300x106